quinta-feira, 21 de julho de 2011

Bem sei de tudo...

Ora, então é isso? Nada além do que sempre suspeitei, mas que pouco considero? Ou sequer dedico tempo à causa...?...... E por isso a indiferença?! Por tratar como uma crença, que me chama a atenção, mas não me afeta? Ou que pouco em mim desperta o que venha da vontade???

Não precisa prolongar o que dizes pelo ensaio... Eu sei bem o que fazer e não lhe devo atenção. Deixe meus partidos e mova-se com os seus. Não são meus os filhos teus...

Ora, venha cá, também não me leve tão à mal!... Não te passo para trás, apenas quero chegar muito à frente, e por isso às vezes te perco de vista.

E, quer saber? São mentiras quando digo que eu tenho algum domínio, ou ao menos faça ideia do que deva acontecer! Por esse lado, não deveria já tê-lo feito? E empregado nisso todo o meu suor?

Mas sei bem do que sou capaz. E, tão importante, também do que não. Pois vantagem de enxergar não poder é notar que são tão poucas coisas!... e se aninham em espécie, sendo todos muito parecidos e excêntricos perto do que temos em mãos com a qualidade de possível.

E esses sim, são tantos!! Verdade que alguns mais difíceis que outros, mas na primeira consulta ao seu eu indagador já tens alguns caminhos possíveis... Aí sim... levam anos ou segundos. Mas, deixando o tempo de lado, apenas levam...

E levam sim, pode ter certeza! Vira e olha pro que já foi feito! Temos algo além da curiosidade? Ou acha que navegantes de outrora carregavam apenas medo em caravelas? Sonhos e pesadelos, sim. E lá todos os pesadelos são ruins??

Nenhum comentário:

Postar um comentário